carros dos anos 50

Carros dos anos 50: impressões ao dirigir

Na verdade, se for ver bem, todo este site converge para os automóveis dos anos 50.Por incrível que possa parecer, nos u]últimos 20 anos, tenho ensaiado de diversas formas algum tipo de discussão sobre automóveis dos anos 50, usando desde word, hipertextos html, passando por  dream weaver, etc., até chegar nesta maravilha que é o Word Press.

Como este site esta desenhado para ligar com a  introdução, que remete para cá quando atinge o sub titulo acima, passando pela forma como os Estados Unidos invadia o meu imaginário adolescente, já expliquei, mas repito, pois pode-se chegar aqui via outros links sem passar por lá e o porquê e como apresentarei isto é o seguinte, como eu já disse lá:

Quem nasceu nos anos 40, como eu, teve seu imaginário sobre automóveis com os carros dos anos 50,que era o que rodava nas ruas do Brasil, quando a gente começava a sentir a realidade.
As impressões sobre estes carros eram imaginárias, como não poderia ser de outro jeito,  a realidade daquelas máquinas eram uma incógnita aparentemente impossível de ser descoberta.
Creio que testes, como os que a revista Quatro Rodas iria inaugurar a partir dos anos 60, ou melhor, fins de 70, pois na década de 60 contava-se com os dedos todos os modelos, visavam antes de mais nada preencher esta falta.
Na verdade, creio que a quase totalidade dos leitores que liam estes testes, como eu, não tinham condições financeiras de comprar nenhum carro…
O que a gente fazia mesmo, era excitar a imaginação…
Eu ignorava, e creio que junto com muita gente, que publicações como a Mecânica Popular já faziam testes muitos anos antes.
A Mecânica Popular não era tão popular e muito tempo depois disto, tive contato com ela, remexendo (fuçando seria mais correto…) em sebos velhas edições daquela revista. Descobri posteriormente que a Mechanix Illustrated também fazia testes e que seu editor de Testes, “Uncle” Tom McCahil era extremamente saboroso de ler e foi muito influente no seu tempo, como se poderá ver em seguida.

Estes testes e reportagens para mim são a projeção nos meios de comunicação que existiram e muito pouco chegaram ao Brasil das impressões dos repórteres equivalentes aos testes de Quatro Rodas, que foram nossa janela.
Tive a ideia de recuperar isto para quem, como eu, gostaria de ter lido isto, ou para quem quiser, por qualquer razão, saber como foi.
Talvez para viver excitações sonhadas e inimaginadas…
O critério é totalmente subjetivo e na introdução faço alguns comentários.

Quem é quem em teste de automóveis.

Quais automóveis? Americanos, europeus, brasileiros?

Eu prestava atenção nos carros americanos, pois os europeus me pareciam extremamente frágeis e não adaptados às condições do Brasil. Os ingleses tinham o Jaguar e a MG que eram atraentes. Como o critério é subjetivo e ligado à minha memória, faço uma digressão sobre isto em: Quais automóveis que rodavam onde eu vivia nos anos 50.

Claro que desde seu surgimento os automóveis eram testados. Porém, no sentido de existir alguém ou algum lugar onde isto se sistematizou, dois nomes e suas respectivas formas de se comunicarem com o público vêm à mente:

Nos  Estados Unicos
“Uncle” Tom McCahil
Tradução na sequência.
Testes realizados por Uncle Tom McCahil
Floyd Clymer
Tradução na sequência
Testes realizados por Floyd Clymer
Lista dos testes na Popular Mechanics na década de 50
Lista dos testes na Mechanix Illustrated na década de 50
Outros testes
Reportagens, relatos, etc
No Brasil

No Brasil, a Revista 4 Rodas e seus repórteres ao longo do tempo fizeram este papel.Sua primeira edição começou em Agosto de 1960. Embora seja uma década à frente, praticamente quase todos os carros da industria nacional eram na verdade da década de 50 em sua origem e podemos ver testes deles naquele período em publicações fora do Brasil. No primeiro numero, não houve nenhum teste, aliás, iria demorar um ano, e somente em agosto de 1961 iria surgir o primeiro teste de 4 Rodas, ou qualquer outra revista brasileira, com o DKW, um carro dos fins da década de 30 na Alemanha…

Teste do DKW 61

Demorava 31,3 segundos para atingir 100 klm por hora e a velocidade máxima indicada nos testes foi 124,8 klm por hora. E foi considerado esperto e com arrancada pela equipe que testou, que não falou um “A” sobre a origem do carro e como ele estava posicionado contra o mundo real lá fora…

Teste do Volkswagen 1300 1961

O teste do Volkswagen, que se seguiu em setembro de 1961, é de lascar… demorava 39,44 segundos para ir de 0 a 100 klm por hora… Motor 1200 com 36 HP…Que longo caminho nos esperava…Eu iria ter um em 1970 e outro nos anos 80, que ficou longo tempo conosco até ser roubado e sumir…

Teste do Dauphine 61

O teste do Dauphine sairia no mês seguinte, em Outubro de 1961. 31 HP. 48 segundos para ir de 0 a 100…Posteriormente sairiam o Gordine e o 1093, na mesma plataforma. Tive os três. Apesar de tudo, carro simpático que deixou saudades…

Teste do Jeep Willys
Conclusão e razão da criação do site

DKW, Vokswagen, Dauphine e Jeep, foi o que iniciou a Industria Automobilistica nacional, na decada de 60. Que, como disse, eram carros da decada de 50 como comprovam os testes feitos nos EUA.  Isto é,  o que havia após o inicio da industria nacional começar… Na década de 50, que é nosso caso, efetivamente, para minha família e sua faixa, não havia nadaE só restava sonhar, que era o que eu fazia e que motiva todo este revisitamento, de algo que sem ter acontecido, deixou  um questionamento como poderia ter sido…que é o que faço aqui agora…

Para os aficionados ou pesquisadores

A Revista 4 Rodas pode ser consultada on line no endereço

O índice geral dos testes dela pode ser encontrado em 

Advertisements